Morre na Santa Casa terceira vítima de acidente de ultraleve

Foto: Divulgação

Morreu por volta da meia-noite desta terça-feira (10) na Santa Casa de Campo Grande, Guilherme Santos Fernandes, 12 anos, a terceira vítima de acidente de ultraleve ocorrido por volta das 17h30 de domingo (8), em Ivinhema, distante 282 quilômetros da Capital. No acidente morreram o irmão de Guilherme, Igor Davi dos Santos Fernandes, 5 anos, e o delegado aposentado e vereador Messias Furtado de Souza, 55 anos. 

Segundo a assessoria de imprensa do hospital, Guilherme passou por cirurgia na tarde de ontem para remoção da pele queimada e na sequência foi para o CTI (Centro de Terapia Intensiva), mas não resistiu. Igor foi velado e sepultado ontem no município. 

Em entrevista ao MS Em Foco, a brigadista civil Rosana dos Santos Lima, 33 anos, mãe dos meninos, disse que os filhos tinham o sonho de voar. “Era o sonho deles e o delegado tinha prometido que ia dar este presente para eles, mas deu tudo errado”, lamentou.

Conforme apurado pelo Campo Grande News, o vereador era acostumado sobrevoar o município. No domingo, os dois irmãos brincavam num parque da cidade quando foram convidados por Messias para um sobrevoo. Os moradores chegaram a avistar a aeronave no ar, mas depois a perderam de vista e na sequência enxergaram uma fumaça preta. Em razão da queda, o avião pegou fogo.

O sargento do Corpo de Bombeiros, Marcelino Ernesto Piffer, uns dos militares que atendeu a ocorrência, contou que ao chegar ao local o avião estava pegando fogo. Alguns moradores já haviam tirado o vereador e o menino de 12 anos. A criança de 5 anos ficou presa às ferragens e morreu no local.

Investigação - As informações preliminares são de que possivelmente Messias errou o pouso e atingiu uma árvore. As causas do acidente estão sendo investigadas pela Polícia Civil de Campo Grande e do município. Ontem (10), segundo nota encaminhada pela FAB (Força Aérea Brasileira), investigadores do Sexto Serviço Regional de Investigação de Acidentes Aeronáuticos foram para Ivinhema para investigar as causas do acidente envolvendo a aeronave de matrícula PU-AFA. 

A ação inicial é o começo do processo de investigação e possui o objetivo de coletar dados: fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de moradores que possam ter observado a sequência do acidente. A investigação realizada pelo Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) tem o objetivo de prevenir que novos acidentes com as mesmas características ocorram. A conclusão de qualquer investigação conduzida pelo CENIPA terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade do acidente.