Durante chuva forte, árvore cai e interdita avenida em obras

Comerciantes reclamam que muitas árvores da Hayel Bon Faker tiveram as raízes cortadas para redução do canteiro central

Foto: Estado Notícias

Árvore de porte grande caiu na tarde desta terça-feira (4) durante forte chuva em Dourados. Da espécie sibipiruna, a árvore interditou a pista norte-sul da Avenida Hayel Bon Faker, entre as ruas Maria de Carvalho e Pureza Carneiro Alves, no Jardim Água Boa.

Principal acesso à cidade para quem vem de Ponta Porã e da região sul do Estado, a avenida passa por obras de recapeamento e drenagem desde o ano passado. O canteiro central está sendo reduzido para garantir mais espaço para os carros.

A reforma ocorre da Avenida Marcelino Pires até a Praça da Bandeira, no trevo com as BRs 163 e 463. A Hayel Bon Faker é considerada o corredor agrícola de Dourados por garantir acesso às áreas de produção de grãos e concentrar a maioria das lojas de insumos agropecuários.

Comerciantes do local afirmam que quedas de árvores já eram esperadas, pois muitas delas tiveram as raízes cortadas para a redução do canteiro central da avenida. Orçada em R$ 103, milhões, a obra é executada por empreiteira contratada pelo governo do Estado, seguindo projeto definido pela prefeitura.

Em setembro do ano passado, o Campo Grande News mostrou que várias árvores adultas já tinham sido cortadas para as obras e que pelo menos 130 estavam ameaçadas.

Na época, a reportagem procurou a prefeitura e a Agesul (Agência Estadual de Empreendimentos) para saber o futuro das árvores que existem no canteiro central da Hayel Bon Faker. Entretanto, não foi possível obter uma resposta clara e objetiva à pergunta se todas essas árvores seriam cortadas como as que já foram, ou se serão mantidas no projeto da nova avenida.

A secretária municipal de Obras Públicas Marise Bianchi informou que a execução da revitalização é do Estado através da Agesul, mas, segundo ela, a obra tem licença ambiental. Marise confirmou a retirada de “algumas árvores” no longo da avenida, mas disse que mais detalhes só a Agesul poderia repassar.

Já a Agência informou que executa a obra seguindo o projeto elaborado pela prefeitura, por isso não soube informar quantas árvores seriam cortadas.

Fonte: campograndenews